Entretenimento

Pintora santa-cruzense participa de exposição no Canadá

 

 

A artista plástica Fátima Camargo é uma das cinco brasileiras convidadas para participar de uma exposição com 35 artistas, todas mulheres, de 18 países. A exposição ImagiNaives acontecerá no Museu Internacional D’Art Naif de Magog, em Quebec, no Canadá, com início no dia 14 de setembro, se estendendo até 18 de dezembro.
Fátima conta que o diretor do museu, Jacques Dupont, conheceu seu trabalho por meio de uma rede social, o que lhe rendeu o convite para participar da exposição. “Cinco brasileiras estão participando formando uma corrente de paz unindo o mundo neste tema vital para a humanidade” destaca a artista.

Como regra, as artistas que participam do ImagiNaives produziram os trabalhos inspirados na música Imagine, do cantor John Lenon. A exposição tem a intenção de abordar a visão feminina na construção de um mundo melhor, partindo da obra desse músico consagrado. “Em novembro de 2015 fiz um pedido a Deus: Se fosse para pintar algo pra deixar no mundo, que fosse sobre a Paz. Em janeiro de 2016 surgiu o convite. Fui atendida”, conta Fátima.

É sua sexta exposição fora do Brasil, mas a primeira especifica no seu estilo Naif (primitivo). Para a artista, a participação na exposição é o reconhecimento do trabalho dela e uma oportunidade de, mais uma vez, levar o nome de Santa Cruz do Rio Pardo a outros países. O quadro que ela enviou se chama “A Paz Está em Nossas Mãos” e mostra personagens que representam as diferenças de classes sociais, raça e religião, vivendo em união. A moça com a pomba simboliza o poder de nossas mãos. “Somos capazes de arrancar a maior árvore do mundo por pura ganância, mas também somos capazes de plantar, cuidar, colher e doar seus frutos”, explica a artista. O homem com a guitarra representa o sonhador da canção de John Lennon. As flores vermelhas significam que não há inferno onde a paz reina. As cinco moças na parte de cima representam o cinco continentes unidos pela paz. As rosas brancas formam uma corrente de paz, como na canção “Imagine”. A corrente de paz liga o mundo todo. As pessoas do fundo da pintura estão cada vez mais próximas de quem olha para a tela. É essa a impressão que Fátima Camargo deseja transmitir.

Neta e filha de agricultores, Fátima Camargo nasceu e foi criada na zona rural de Santa Cruz do Rio Pardo. Casada e mãe de três filhos, sempre trabalhou com a família no cultivo de sementes e hortaliças.
Em 2007 enfrentou um quadro forte de depressão decorrente de problemas pessoais, pressões diárias e estresse. Não conseguiu mais trabalhar. Mudavam os médicos, os remédios e Fátima não voltava à realidade. Um dia, diante de uma enorme tristeza de seus filhos, de joelhos, pediu a Deus que lhe devolvesse o prazer pela vida. O pedido foi atendido, pois começava a nascer em seu íntimo o desejo pela arte. Mesmo sem possuir nenhum conhecimento relacionado às telas, tintas, composições e formas, Fátima comprou duas telas e tubos de tinta. Sua produção inicial foi de dez telas divididas entre flores e paisagens. Assim quanto mais se envolvia no mundo de cores e imaginação, menores eram as doses diárias de remédios.

A primeira exposição da artista foi em março de 2012 na Galeria Acácio Gonçalves no Palácio da Cultura Umberto Magnani Netto em sua cidade natal. Ela conta que a secretária de cultura da época, Zildete Torres Camilo, reconheceu sua arte à primeira vista, “É arte primitiva” disse. Desde então Fátima percebeu todo seu potencial. A segunda exposição com o tema “Anjos e Arcanjos” foi na Câmara Municipal de Santa Cruz, em outubro de 2013. Atualmente a artista continua retratando seus sentimento e realidade do campo nas telas. A depressão tornou-se coisa do passado. Sua produção artística ultrapassa duzentas telas publicadas em catálogos e expostas por todo Brasil e no mundo.

 

 

Área Vip e nova estrutura, as novidades do Rock Rio Pardo 2017

VER NOTÍCIA

AABB Santa Cruz promove festa julina neste sábado, entrada franca

VER NOTÍCIA

“Arraiá da Moovit” agita Jardim Brasília nesta noite

VER NOTÍCIA