Revista

60% das crianças têm cárie, segundo Associação Brasileira de Odontologia

 

 

Muito comum nesta fase, a cárie é uma doença infecto-contagiosa e surge a partir de resíduos alimentares que permanecem em contato com os dentes e são utilizados pelas bactérias presentes na boca. Assim, surge a placa bacteriana e, a partir dessa interação, há produção de ácidos que podem destruir as estruturas dentais.

De acordo com a odontopediatra e ortodontista, Mayra Salaro, se não for diagnosticado rapidamente, esse processo pode evoluir podendo levar à morte da polpa (nervo responsável pela vitalidade do dente) e até mesmo à formação de um abscesso.

Entre os motivos que levam ao problema estão a má alimentação, alta ingestão de açúcar, e higiene bucal inadequada ou até mesmo falta de higiene. As orientações para evitar cáries na infância devem começar com as mães ainda gestantes, pois alguns fatores podem interferir no desenvolvimento dos dentes do bebê. Determinados antibióticos, como a tetraciclina, administrados em gestantes ou lactantes podem causar descoloração ou manchas, nos dentes permanentes.

“Leve seu filho regularmente ao dentista e incentive-o desde pequeno a escovar os dentes e manter uma higiene bucal correta e adequada! Nesta hora é sempre bom usar um pouco de criatividade e brincadeiras para incentivá-lo”, orienta Mayra.

Lembre-se: a escovação pode ser iniciada em bebês com idade de amamentação, mesmo a criança ainda não tendo dentinhos, é necessária a higiene bucal.

 

 

AME Ourinhos destaca programas de prevenção de saúde da mulher e do homem

VER NOTÍCIA

Covid-19: sete internações só no final de semana em Santa Cruz

VER NOTÍCIA

Covid-19 em Santa Cruz: 808 casos positivos e 786 pessoas curadas

VER NOTÍCIA