Política

João Marcelo não vota em repúdio para Secretário Estadual: “Não vou participar de picuinha”

 

 

A câmara de vereadores de Santa Cruz do Rio Pardo se reuniu pela primeira vez em sessão ordinária neste ano na noite desta segunda-feira (06), e a primeira polêmica de 2017 não foi nenhum projeto, e sim uma moção de repúdio apresentada pelo legislativo santa-cruzense contra o Secretário Estadual do Meio Ambiente, Ricardo de Aquino Salles.

Na semana passada o secretário esteve em Santa Cruz para interditar o aterro sanitário do município, e  algumas atitudes de Salles irritou o prefeito Otacílio Parras Assis, entre elas comunicar antecipadamente alguns órgãos de imprensa, “Ele promoveu um espetáculo circense” disse o prefeito em entrevista.

“Ele não respeitou 48 mil pessoas” disse o presidente da câmara, Marcos Cantor, para justificar a moção

 

O presidente da câmara, Marcos Valantieri (PR), explicou a moção “Não estamos questionando o aterro ser lacrado, mas sim como foi feito, todo aquele aparato, seis viaturas, helicóptero, não deixar os caminhões que estavam lá depositar o lixo, foram vários erros, por isso essa moção de repúdio, ele não respeitou uma população de 48 mil pessoas”.

A moção foi aprovada com nove votos favoráveis, um contrário da vereadora Maura (PSDB), e três abstenções dos vereadores João Marcelo e Edvaldo do DEM, e Murilo Sala (SD).

“Não gosto de participar de picuinhas tanto de um lado ou de outro, para mim isso não leva a nada, nós temos trabalhar pela população e não ficar com brigas politicas” explicou João Marcelo o motivo de não ter votado favorável a moção.

Professos Edvaldo também explicou sua abstenção “Vejo que neste momento uma moção de repúdio coloque Santa Cruz do Rio Pardo em uma situação pior ainda com o governo estado, eu torci para que não passasse, mas infelizmente a maioria foi favorável, eu entendo uma moção de repúdio é algo muito pesado” disse

“Eu não votei favorável porque como está escrito na moção está dando a impressão de que ele agiu errado, mas não, ele estava cumprindo a função dele, da mesma maneira a gente ouve administração falando de tomar medidas amargas, da mesma forma um secretário, a forma como ele agiu como estão falando eu também não concordo, um secretário de estado tem ter no minimo respeito, mas uma moção de repúdio e muito forte e tem ser para algo mais importante” comentou Murilo Sala.

Murilo também se mostrou preocupado com a relação da cidade com o estado “Não sei até que ponto é interessante fazer algo contra o estado, acho melhor procurar, sentar, conversar e tentar resolver a situação, entendo a revolta do prefeito, não precisava tudo aquilo por parte do secretário, mas não acho que moção de repúdio vai resolver” concluiu

A vereadora Maura foi a única a votar contrário “Não tem necessidade essa moção”

 

A vereadora Maura foi a única a votar não, e explicou “Eu entendo que o secretário cumpriu sua função, nós temos esse problema não é de hoje, é antigo, quando sai em 2009 nós já tínhamos apontamento, e eu pesquisei que o secretário não agiu desta maneira só em Santa Cruz, tenho aqui matérias dele ter tomado a mesma atitude em outras cidades, ele tem como meta lixão 0 para o estado de São Paulo, ele cumpriu com sua função, e também felizmente o prefeito foi muito rápido e tomou as medidas necessárias, acho que agora caminhamos para a solução do problema, não era necessário é uma moção de repúdio”.

 

 

 

 

 

Governador sanciona projeto de Ricardo Madalena que obriga divulgação dos radares

VER NOTÍCIA

Assembleia aprova projeto de Ricardo Madalena que obriga divulgar localização de radares

VER NOTÍCIA

Prefeitura de Santa Cruz investe meio milhão de reais em implantação de led

VER NOTÍCIA