Região

Ourinhos pode ganhar hospital veterinário

 

 

A construção do Hospital Veterinário em Ourinhos é uma luta antiga do vereador Alexandre Zóio e do veterinário Renato Saliba

 

Na semana passada, durante visita à Câmara dos Deputados, em Brasília, o Prefeito Lucas Pocay deu um passo importante para a construção do Hospital Veterinário em Ourinhos. Ele esteve reunido com o deputado Ricardo Trípoli e a viabilização de recursos financeiros para a obra ficou mais próxima de ser concretizada.

O Hospital Veterinário Municipal é uma antiga reivindicação do vereador e presidente da Câmara de Ourinhos Alexandre Zóio e do veterinário Renato Saliba.

“O deputado Ricardo Trípoli é um dos maiores defensores dos direitos dos animais no Brasil. Ele já esteve conosco em Ourinhos em diversas ocasiões. Nos ajudou a promover duas campanhas contra a cinomose (doença que acomete cães não vacinados). Trípoli também fez uma palestra em Ourinhos sobre bem estar animal e direito dos animais”, declarou o vereador Alexandre Zóio que se diz confiante no trabalho do prefeito Lucas Pocay para a liberação da verba de R$ 600 mil destinada pelo Trípoli para a construção do Hospital.

São Paulo foi um dos primeiros municípios a oferecer um hospital veterinário gratuito com consultas, cirurgias, exames laboratoriais e internação para cães e gatos. O serviço foi inaugurado em 2012. É possível realizar consultas gerais e de especialidades, como ortopedia, oncologia, dermatologia, endocrinologia, clínica veterinária e cirurgia de tecidos moles. O serviço é voltado para animais cujos donos estejam inscritos em programas sociais ou que tenham baixa renda.

BANCO DE RAÇÃO

A administração Lucas Pocay vem criando uma série de ações em defesa dos animais. No final do mês de janeiro, a Câmara aprovou o projeto de lei de autoria do prefeito criando o Banco de Ração do Município. O programa consiste em captar doações de rações para alimentar animais pertencentes às famílias sem condições financeiras de adquirir o produto ou que estão sob os cuidados de uma ONGs. As entidades ou famílias beneficiadas serão cadastradas. Os critérios de coleta e distribuição, assim como o local de funcionamento do banco de Ração ainda serão definidos.

A ideia é estimular consumidores, lojas de ração ou fabricantes do produto a doarem o alimento antes da data do vencimento.

O Banco de Ração será responsável pela coleta dos alimentos doados, bem como seu armazenamento e distribuição para entidades e famílias cadastradas. O programa também está autorizado a receber doações de móveis, roupas, remédios, coleiras, guias, entre outros utensílios que serão destinados aos animais.

 

 

Profissional dá dicas para clareamento dentário

VER NOTÍCIA

Inverno: dos 22 leitos da pediatria da Santa Casa, 14 são destinados aos pacientes com problemas respiratórios

VER NOTÍCIA

Especialista fala sobre implante dentário

VER NOTÍCIA