Revista

Ferida é grave problema de saúde e afeta até relacionamentos

 

 

Lesão que está aberta há meses ou anos traz complicações graves

 

Uma pequena ferida, que às vezes nasce de um esbarrão no pé da mesa ou um inocente arranhão, pode crescer a ponto de se transformar em uma lesão grande e complexa. E é aí que mora o perigo.

Muitas vezes, de maneira equivocada, as pessoas não cuidam do machucado quando ele ainda é simples e pequeno ou cuidam de maneira errada, sem a higiene adequada, com procedimentos irregulares e com materiais ineficientes.

Além disso, doenças como diabetes, hipertensão e problemas de circulação contribuem para a piora do machucado e sua não-cicatrização.

Nos diabéticos, a situação é ainda pior. Em casos mais extremos, a ferida pode terminar em uma amputação.

“É comum pacientes que convivem com feridas complexas e grandes durante anos reclamarem que já fizeram de tudo, mas a ferida não cicatriza. Geralmente isso acontece pelo fato de os curativos serem feitos de maneira precária e  com materiais ultrapassados”, afirma a gerente de enfermagem da AleNeto Enfermagem, Nayara Moreno.

A enfermeira Tamires Guerra, da AleNeto Enfermagem, realiza curativo em uma paciente

 

A pessoa que sofre lesões precisa de um acompanhamento diário realizado por um profissional. “Em determinados casos, a ferida só vai cicatrizar com o uso de curativos específicos, que não são encontrados em farmácias, apenas direto com fornecedores especializados”, diz Tamires Guerra, enfermeira da AleNeto Enfermagem.

Dentro dos cuidados com a saúde, cabe ao corpo de enfermagem a realização de curativos, seguindo recomendações médicas ou prescrições passadas pelos próprios enfermeiros especializados.

Um tratamento adequado não traz apenas benefícios físicos ao paciente, mas também ganhos psicológicos. “Um paciente que convive com uma ferida grande, que na maioria das vezes tem um aspecto bem feio, sente dificuldades e vergonha de ir a festas familiares ou encontro com amigos, pois mesmo com a ferida escondida, um curativo mal feito pode vazar e sujar a roupa, causando um grande constrangimento”, relata Nayara.

A AleNeto Enfermagem trabalha na prevenção de acidentes oferece o serviço de cuidador de idoso em Santa Cruz do Rio Pardo e região, entre em contato pelo fone (14) 3372 0631.

 

 

Covid-19: sete internações só no final de semana em Santa Cruz

VER NOTÍCIA

Covid-19 em Santa Cruz: 808 casos positivos e 786 pessoas curadas

VER NOTÍCIA

Depois de três meses Santa Cruz registra caso positivo de dengue

VER NOTÍCIA