Política

Vereador apresenta moção de repúdio para agência do Banco do Brasil

 

 

O vereador Cristiano Neves (PRB) apresentou na sessão desta segunda-feira (17) na câmara de vereadores de Santa Cruz do Rio Pardo, uma moção de repúdio para a agência do Banco do Brasil da cidade.

“Quero deixar claro que a moção é para o alto escalão do banco, os funcionários da agência não tem culpa, eu tenho conta no Banco do Brasil, a empresa que trabalho também, e até esta casa possui conta na agência, mas não dá mais para aguentar o descaso do banco com a população, desde que fecharam à agência da Avenida Tiradentes, a outra virou um caos” disse Cristiano ao defender sua moção.

O vereador do PRB continuou “Tem que parar essa palhaçada com a população, filas intermináveis, terminal que não funciona, caixa eletrônico sem dinheiro aos finais de semana, olhem no telão o comprovante que recebi de um cliente, chegou na agência as 11h03 e foi atendido as 11h57, existe uma lei e o tempo máximo tem ser meia hora, o cliente ficou uma hora na fila, e isso está sendo direto, por isso peço apoio aos demais vereadores nesta moção, não dá mais para suportar” concluiu.

O vereador João Marcelo (DEM) também defendeu a moção “Algumas pessoas dizem que moção de repúdio não serve para nada, mas serve sim, e tenho aqui um exemplo, apresentei uma contra as péssimas condições do Ciretran aqui em Santa Cruz, e dias depois pessoas da alta cúpula do Detran estiveram na cidade e prometeram providências, inclusive a construção de um novo prédio, então moção dá sim resultado, e sou a favor desta do vereador Cristiano Neves” falou.

A moção de repúdio ao Banco do Brasil passou de forma unanime.

 

Lei dos bancos

 

E ainda durante a sessão os vereadores voltaram a apreciar uma lei de fiscalização para as agências bancárias de Santa Cruz do Rio Pardo. No mês de março já havia sido aprovada uma lei regularizando vários pontos, a principal dela o tempo de atendimento.

O problema é que na lei anterior acabou se generalizando todo o tipo de atendimento, tanto nos caixas como em outros tipos de atendimentos A reportagem SCN apurou que ao menos um gerente de uma agência procurou a prefeitura e alguns vereadores, e mostrou preocupação com o tempo exigido “No caixa é tranquilo e podemos resolver, agora nos atendimentos de relacionamento e social esse prazo é inviável e não vamos conseguir” disse.

Então a prefeitura resolveu mandar um novo projeto para a câmara desmembrando os atendimentos, estipulando temo nos caixas de 30 minutos para dias normais e 40 minutos para dias anteriores ou subsequentes a feriados prolongados ou em datas de pagamentos, já no relacionamento prazo de 01h00 em dias normais e 01h30 nos demais, e no atendimento social o prazo de 02h00 em qualquer dia.

Os vereadores Murilo Sala (SD), João Marcelo (DEM), Luciano Severo (PRB) e Cristiano Miranda (PSB) não concordaram com os tempos estipulados e apresentaram emenda alterando para 20 e 30 minutos o tempo de espera máximo nos caixas, e de uma hora e uma hora e meia no atendimento social.

A emenda foi aprovada. Cristiano Miranda e Cristiano Neves também apresentaram novas emendas.

Miranda queria que os bancos tivessem trinta dias para adequação, e Neves que as agências oferecessem assentos em número para suficiente para os usuários aguardarem atendimento.

“Já faz mais de 40 dias que aprovamos a primeira lei, e os bancos já tinham 60 dias para adequação, e agora vamos dar mais sessenta dias, eu não concordo e acho trinta mais que suficiente” falou Cristiano Miranda.

O problema é que as emendas encontraram resistência dos vereadores Luizão da Onça (PSB) e Milton de Caporanga (PR).

“Tenho medo que o projeto seja prejudicado por essa emenda de diminuição para trinta dias, então não concordo” comentou Luizão.

Já Milton de Caporanga foi ainda mais radical “Peço a retirada do projeto por duas sessões”.

Então a dupla de Cristiano resolveu retirar as emendas.

“Precisamos resolver essa situação logo, então se for necessário retiro minha emenda” falou Cristiano Miranda.

Cristiano Neves foi na mesma linha “Se for para dar agilidade na aprovação eu também retiro minha emenda, mesmo porque eu acredito que hoje em Santa Cruz só o banco Itaú não oferece assentos de forma suficiente”.

Sem as duas emendas o projeto foi aprovado por todos.

A expectativa agora da população é que daqui a sessenta dias as agências bancárias realmente passem a ser fiscalizadas, pois os bancos cobram taxas de tudo dos seus cliente, e os banqueiros não conseguem nem ao menos, ou não querem, manter um número suficiente de funcionários para ao menos um atendimento decente a população.

 

 

Santa Casa recebe R$ 50 mil em doação de empresa santa-cruzense

VER NOTÍCIA

Fazenda notifica proprietários de 1,6 milhão veículos com débitos de IPVA

VER NOTÍCIA

Comitiva de importadores de arroz chega ao país

VER NOTÍCIA