Revista

Hipertensão Arterial atinge 30 milhões de brasileiros

 

 

Na semana em que comemoramos o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial (26 de abril), a Drogalar ouviu o médico clínico geral, Sergio Jordan, de Lençóis Paulista (SP), que fala sobre as causas, tratamento e sintomas desta doença que acomete mais de 30 milhões de brasileiros. O dado é do Ministério da Saúde que também aponta prevalência nas regiões sul e sudeste

 

Entre as principais causas de hipertensão arterial estão à predisposição genética e fatores externos como: obesidade, sedentarismo, tabagismo, estresse e consumo excessivo de álcool e sal.

 

Segundo estudos, existe relação da pressão arterial com a idade, sendo a prevalência de hipertensão arterial superior a 60% na faixa etária acima de 65 anos.

A prevalência de hipertensão arterial entre homens e mulheres é semelhante, embora seja mais elevada nos homens até os 50 anos, invertendo-se a partir da quinta década.

 

De acordo com o médico, a hipertensão arterial é um dos mais importantes fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, cerebrovasculares e renais, sendo responsável por pelo menos 40% das mortes por AVC (Acidente Vascular Cerebral) e por 25% das mortes por doença arterial coronariana.  

 

O médico, Sergio Jordan informa que a prevenção começa com a mudança no estilo de vida. “Estas mudanças são fundamentais e incluem: alimentação adequada (consumir mais frutas e legumes, evitar frituras e gorduras e diminuir consumo de sal), controle do peso, prática de atividade física, parar de fumar, controlar consumo de bebidas alcoólicas e o estresse. Estas medidas auxiliam na prevenção e no tratamento”, pontua.

 

O tratamento se resume basicamente em modificações do estilo de vida, como foi dito acima, e medicação, que é variada de acordo com cada paciente. Para conseguir um bom resultado no tratamento e na prevenção das complicações crônicas, uma abordagem multiprofissional (enfermeiro, farmacêutico, nutricionista, professor de educação física, psicólogo, os agentes comunitários) é de fundamental importância.

 

Para o médico, o caminho para reverter o cenário atual é investir nos profissionais de saúde das unidades básicas, pois eles exercem importante papel no controle e na orientação sobre a importância no seguimento do tratamento da hipertensão arterial. “É muito importante a motivação do paciente em manter o tratamento, para evitar o abandono e consequentemente o descontrole da ‘pressão’. Esta é sem dúvida uma das batalhas mais difíceis para os profissionais da saúde. Também é importante lembrar que um grande número de pacientes hipertensos apresentam outras comorbidades, como diabetes, dislipidemia e obesidade”.

 

DICAS

 

A Sociedade Brasileira de Hipertensão também procura orientar e conscientizar a população por meio de seus 10 Mandamentos da prevenção da pressão alta. Confira as dicas da entidade:

 

  1. Meça a pressão pelo menos uma vez por ano.
  2. Pratique atividades físicas todos os dias.
  3. Mantenha o peso ideal, evite a obesidade.
  4. Adote alimentação saudável: pouco sal, sem frituras e mais frutas, verduras e legumes.
  5. Reduza o consumo de álcool. Se possível, não beba.
  6. Abandone o cigarro.
  7. Nunca pare o tratamento, é para a vida toda.
  8. Siga as orientações do seu médico ou profissional da saúde.
  9. Evite o estresse. Tenha tempo para a família, os amigos e o lazer.
  10. Ame e seja amado.

 

 

Covid-19: sete internações só no final de semana em Santa Cruz

VER NOTÍCIA

Covid-19 em Santa Cruz: 808 casos positivos e 786 pessoas curadas

VER NOTÍCIA

Depois de três meses Santa Cruz registra caso positivo de dengue

VER NOTÍCIA