Revista

Os riscos que os idosos correm quando os cuidados não são profissionais

 

 

Familiares ou cuidadores sem conhecimento técnico e/ou experiência podem negligenciar situações de riscos.

 

Os cuidados com idosos doentes e/ou com restrições e dificuldades em sua rotina (banho, alimentação, caminhada, etc) devem sempre ser feito por profissionais.

Muitas vezes, essa responsabilidade fica na mão de familiares ou pessoas contratadas para esses cuidados, mas que não são profissionais e com pouco ou nenhum conhecimento técnico na área de enfermagem. Talvez, essas pessoas até consigam desempenhar um papel satisfatório em boa parte do atendimento, mas nos momentos cruciais elas não terão capacidade de avaliar uma situação de risco, por exemplo.

E são exatamente essa avaliação correta e a intervenção imediata que podem evitar situações extremamente complicadas e até mesmo a morte do paciente. “Apenas profissionais da área de enfermagem conseguem, com precisão, saber o momento certo de encaminhar a um pronto-socorro. Em alguns casos, o paciente tem um AVC, por exemplo, e isso só será identificado por um profissional”, afirma Nayara Moreno, gerente de enfermagem da AleNeto Enfermagem.

A saúde do paciente depende de intervenções rápidas e corretas. Mas não é somente em situações de extremo que a presença de um profissional se faz essencial. Muitas vezes, pequenos procedimentos feitos de maneira errada pela família ou cuidador amador, ao longo do tempo, acabam também debilitando ainda mais o paciente.

“Às vezes, gestos simples como tirar da cama para colocar na cadeira de rodas ou no sofá, são  realizados de modo equivocado durante meses e acabam, por conta disso, criando lesões ou dores musculares no paciente”, salienta Nayara.

A AleNeto Enfermagem presta atendimento domiciliar em Santa Cruz do Rio Pardo e região. Para conhecer mais, ligue (14) 3372-0631 e no telefone de plantão 24 horas (14) 99747-0154.

 

 

Covid-19: sete internações só no final de semana em Santa Cruz

VER NOTÍCIA

Covid-19 em Santa Cruz: 808 casos positivos e 786 pessoas curadas

VER NOTÍCIA

Depois de três meses Santa Cruz registra caso positivo de dengue

VER NOTÍCIA