Policial

Após ser libertada, Sueli Feitosa chega em sua casa escondida na caçamba de uma Pick Up

 

 

Sueli Feitosa chegou em sua residência por volta das 23h30, estava escondida debaixo de uma lona na carroceria de uma Pick Up. (Foto: Renan Alves).

 

Sueli Feitosa e o seu cunhado Adilson Gomes (Maizena), já estão em suas residências, segundo informações do jornalista Diego Singolani da rádio 104 FM.

Adilson chegou em sua casa no residencial Braúna por volta das 20h30 em uma Pick Up conduzida por sua esposa, e não falou com a imprensa. Adilson estava preso desde o dia 06 de fevereiro no presidio de Cerqueira César, acusado de obstrução das investigações, e para a policia também era o cunhado quem manteve Sueli enquanto ela era foragida.

Horas depois foi a vez de Feitosa também chegar a sua casa, no mesmo bairro. “Por volta das 23h30 uma pick up parou em frente a residência e buzinou, então o portão foi aberto, e ao ser fechado foi possível ouvir os gritos e choros do encontro de Sueli Feitosa e sua mãe. Como só havia o motorista no carro, um amigo da família, percebemos que Sueli chegou escondida debaixo de uma lona na carroceria do veiculo para evitar imagens da imprensa” disse Singolani.

Sueli Feitosa estava presa no presidio de Pirajuí desde do dia 08 de fevereiro, a prisão aconteceu após ela se entregar ao Ministério Público e confessar ter desviado mais de R$ 1 milhão de Reais dos cofres da prefeitura, onde trabalhava como chefe da tesouraria.

Os números oficiais do valor desviado ainda não foi divulgado, a prefeitura fala em mais de três milhões, já a policia trabalha com a possibilidade de mais de sete milhões ter sido desviado. Sueli já fez acusações a várias pessoas, e garante que não agia sozinha, e os trabalhos de investigações continuam.

Feitosa e o cunhado conseguiram a liberdade após decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo, com parecer favorável a um habeas corpus impetrado pelo advogado de defesa da dupla, Luiz Henrique Mitsunaga.

Os desembargadores concordaram com a argumentação da defesa, alegando que neste momento a prisão dos dois caracteriza um constrangimento ilegal, isso porque o caso ainda está em fase de inquérito, ambos possuem bons antecedentes criminais e residência fixa, e não apresentam riscos para as investigações.

Sueli Feitosa e Adilson Gomes a partir de agora passam a responder as acusações em liberdade, entretanto não podem sair de Santa Cruz, deverão comparecer ao fórum do município eventualmente e estão proibidos de entrar no prédio da prefeitura de Santa Cruz do Rio Pardo.

Em conversa com a reportagem SCN, o delegado Renato Caldeira Mardegan, disse que a liberdade dos dois não muda em nada os trabalhos de investigações.

 

 

 

 

 

 

PMR apreende celulares e aparelhos eletrônicos contrabandeados em Santa Cruz

VER NOTÍCIA

PMR apreende grande quantidade de maconha e skank em Santa Cruz

VER NOTÍCIA

Bandidos furtam fiação de iluminação da ciclovia no Parque das Nações

VER NOTÍCIA