Revista

Semana da Amamentação ressalta a importância da doação do leite materno

 

 

Em comemoração a Semana da Amamentação foi promovido na tarde de quinta-feira (3 de agosto) um encontro na Santa Casa de Misericórdia de Santa Cruz do Rio Pardo.

Participaram do evento, gestantes, mamães, colaboradoras do hospital e alunos do curso técnico em enfermagem da Etec Orlando Quaglito.

Na ocasião a enfermeira da maternidade, Patrícia Yoneda ressaltou a importância do leite materno para a saúde do bebê. Também foi oportunidade para um bate papo com troca de experiências entre as mães e orientações sobre vários tabus relacionados ao assunto.

“Não existe leite materno fraco, mas sim as fases. Há esta percepção por conta da digestão ser mais rápida em relação a outros tipos de leite. Além do mais, o mercado objetiva a venda de mamadeira, por isso as mulheres têm de ter força de vontade e buscar orientações para que o período da amamentação seja tranquilo para ela e o bebê”, disse a enfermeira.

Também participaram do encontro as colaboradoras do Posto de Saúde Central, onde é realizada a orientação relacionada à amamentação. O local também é ponto de coleta das doações de leite materno. O material é encaminhado para cidade de Assis, onde é feita a pasteurização. No entanto, o número de doações está abaixo do considerado ideal. Para se ter uma ideia durante três semanas o setor estava apenas com uma doadora. A situação é preocupante, tendo em vista que a UTI Neonatal do Hospital de Santa Cruz é referência de atendimento para todo o Estado e a demanda pelo leite é grande.

Encontro ressalta a importância do leite materno para o desenvolvimento da criança

 

Os critérios para doação são: não ser fumante, estar com os exames de sangue em ordem e não ingerir medicamentos controlados. As interessadas podem procurar o Posto de Saúde, das 7h às 17h.

De acordo com a ONU (Organização das Nações Unidas) a amamentação é indicada até os dois anos de idade da criança. “O leite materno é a primeira vacina para o bebê. Depois dos dois anos, quando já foi iniciada a introdução de frutas e outros tipos de alimentos o leite de vaca, por exemplo, não é mais essencial, pois o cálcio deste não é absorvido pela criança”, conta a enfermeira.

A enfermeira deixou a maternidade de portas abertas para que as futuras mamães possam conhecer a estrutura e equipe. “As visitas são permitidas no período da tarde. O trabalho de humanização visa acolher de melhor forma as futuras mamães. Temos muitos sonhos para efetuar na parte física do hospital, mas o que podemos fazer em termos de atendimento é colocado em prática”, completa Patrícia.

 

 

Uso indevido de bronzeadores prejudica a pele, alerta esteticista

VER NOTÍCIA

Conferência sobre Cuidados com a Pessoa Deficiente teve a participação do prefeito Otacílio

VER NOTÍCIA

“Martelinho de Ouro” promete eliminar as celulites

VER NOTÍCIA