Revista

Na saúde, o barato também sai caro

 

 

As famílias que precisam contratar alguém para cuidar de parentes em casa sempre se pegam em um velho dilema: pagar um serviço profissional ou contratar uma pessoa amadora? Pensando no bolso, algumas optam pelo serviço menos qualificado, com a falsa ilusão de que uma pessoa amadora dará conta do recado.

Em um primeiro momento, mesmo sendo falsa, de fato se tem a impressão de que o trabalho amador pode se equiparar ao profissional em eficiência, quando o paciente é de baixa complexidade e exige pouco. Mas o amadorismo nunca conseguirá fazer uma análise profissional sobre a saúde do paciente, seja para mantê-lo em uma situação estável ou para evolui-lo em um tratamento.

Essa falta de acompanhamento profissional pode ocasionar sérios problemas nos procedimentos realizados na rotina do paciente (banho, controle de medicação, auxílio para caminhar, etc) e principalmente no acompanhamento da evolução de seu quadro. Com isso, a pessoa assistida pode ter novos problemas e ver seu quadro piorar.

E é aí que entra a questão financeira. Quando o idoso, por falta de cuidados adequados, tem uma queda em sua condição clínica, a probabilidade da família gastar mais com remédios, exames, consultas e internação aumenta consideravelmente.

“As vantagens do atendimento profissional de enfermagem domiciliar, só para citar algumas delas, são o trabalho de prevenção e as técnicas corretas nos procedimentos de rotina necessários. Prolongar o bem-estar do paciente e evitar o agravamento de seu quadro garante a qualidade de vida do mesmo e também um controle nos gastos”, afirma Nayara Moreno, gerente de enfermagem da AleNeto Enfermagem, que atende em Santa Cruz do Rio Pardo e região.

Para saber mais sobre o assunto e conhecer de perto o trabalho da AleNeto Enfermagem, ligue (14) 3372-0631 e no telefone de plantão 24 horas (14) 99747-0154 ou faça uma visita no escritório que fica na Avenida Batista Botelho, 418, sala 4.

 

 

Covid-19: sete internações só no final de semana em Santa Cruz

VER NOTÍCIA

Covid-19 em Santa Cruz: 808 casos positivos e 786 pessoas curadas

VER NOTÍCIA

Depois de três meses Santa Cruz registra caso positivo de dengue

VER NOTÍCIA