Revista

Empresária santa-cruzense é destaque em revistas de grande circulação

 

 

A empresária santa-cruzense, Julynaide Adorno, da Net.Com foi destaque em matérias das revistas Valor Econômico e Pequenas Empresas Grandes Negócios, publicações conhecidas nacionalmente.

“Foi um privilegio, me senti muito honrada com o convite para participar das edições desta revistas, é um marco para a gente provedores regionais este tipo de matéria” disse a empresária.

Revista Pequenas Empresas, Grandes Negócios                                                                                                                           

As matérias focam no crescimento de pequenos provedores de internet em pequenas cidades do país.

“Legal ter o trabalho reconhecido, estamos fazendo investimentos para cada vez agradar mais nosso clientes e oferecer um grande serviço, e a nossa vantagem é o contato direto com nosso cliente” comentou Julynaide.

Ouça a entrevista que a empresária concedeu ao Santa Cruz News, e logo depois leia a história da Net.Com

 

 

Em 22 de Junho de 2009, analisando uma carência do mercado, mediante fraca oferta e mau atendimento dos prestadores de serviços de Internet na cidade de Santa Cruz do Rio Pardo, nasce a NET.COM, um ISP regional, fundado para atender a esta demanda ofertando também, um atendimento único a seus clientes, sempre com muito respeito.

Julinayde Adorno, sócia fundadora da NET.COM, investiu no ano de 2009 cerca de R$ 60.000,00 em um negócio promissor e ainda muito desconhecido: A INTERNET. Do ramo de mecânica de precisão, porém, empreendedora nata, após um período no exterior, retorna à sua cidade natal com o empreendedorismo aflorado.

Mas fazer o que? Não tinha idéia de quais os negócios que estavam promissores no Brasil.

Na busca de ser atendida pela internet e dar início as buscas de um novo negócio, percebeu, no atendimento, do único provedor existente na sua cidade, que haviam muitas falhas, saiu de lá decepcionada com o atendimento que recebeu, e isso fez com os ânimos de empreendedora visualizasse uma oportunidade.

Mas como? Não sabia nem por onde começar, completo desconhecimento da área, porém sentia o cheiro de um ramo crescente no futuro. Arriscou-se em um ramo que desconhecia totalmente, mas que já evidenciava princípios de grande evolução.

Surge então a Net.com, uma empresa de comunicação à internet, e como principal missão a de entregar qualidade ao cliente, na conexão, mas principalmente o respeito ao cliente.

No início a rede foi montada com a tecnologia Radio, 2.4, grandes foram os desafios, pois nem o mercado sabia o que “era bom”, “o que funcionava”, todos éramos um laboratório de experimentação de equipamentos e projetos, mas a finalidade principal era alcançada: qualidade na conexão, estabilidade e atendimento diferenciado.

A NET.COM, como toda microempresa, sentiu os desafios de sobreviver no início de sua jornada, dificuldades com a burocracia do pais, com a burocracia do ramo TELECOM, com a dificuldade de crédito, inacessível, mas ainda assim, mesmo com todas as adversidades, e com uma meta de fechar de 100 clientes no primeiro ano, fechou com 3 vezes mais em apenas 3 meses de vida.

NADA É FÁCIL

Em 2010, durante a burocracia da emissão da Outorga junto a Anatel, com a homologação quase na porta, e empresa foi surpreendida por agentes da própria Agencia Reguladora, que apontaram irregularidades que nem mesmo a Agencia conseguia orientar. A empresa fica impedida de trabalhar e atender seus clientes, foram eternos 15 dias de correria, de argumentação, porém poucos sabíamos onde recorrer ou quem recorrer, perderam nesse período 50% da carteira, mas ainda mantinham 100% das despesas assumidas, ou seja, não bastasse as dificuldades do setor, o caos financeiro fora instalado na empresa.

Porém, ainda com o furacão passando, Julinayde e a equipe, não deixaram em nenhum instante de atender o cliente e ser verdadeira, isso foi fato importante e determinante para o pós furacão. Ainda que alguns clientes não desejaram permanecer, muitos compreenderam, aguentaram e respeitaram esse período da empresa.

 “Ainda que sem conexão, muitos clientes compreenderam e mantiveram seu contrato ativo! Isso foi determinante para eu não desistir, a minha credibilidade e idoneidade foi levada em consideração e isso me deu força e mais garra de continuar a empresa e superar os desafios do período! ”, Relata Julinayde.

COLOCANDO A CASA EM ORDEM

Após a situação caótica, a NET.COM entrou num processo de reestruturação em tudo. Buscou Inovações técnicas, administrativas, planejamento financeiro, passou a olhar para fora da empresa, seguiu o caminho dos que já estavam no mercado, eram bons no que faziam e tinham muito a acrescentar. Visitou outras empresas do ramo, conversou com os que eram da área, participou de eventos do setor, se filiou a ABRINT (Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações) enfim, foi buscar conhecimento e estrutura para recomeçar, essas ações deram sustentação madura ao negócio, mantendo as operações, aumentando a equipe, honrando os compromissos assumidos.  Esse foi um período onde se reconheceu o cliente e toda a equipe, que esteve junto o tempo todo, por muitas vezes segurando o furacão com a mão, sem abandonar o barco, quando a onda vinha, todos remavam juntos! Essa participação da equipe foi fundamental.

 “Contamos com o apoio de todos os funcionários, trabalharam duro para reverter a situação. Devo muito a todos eles que, não só vestiram a camisa, mas suaram a camisa pela empresa ”

O reconhecimento chegou, a entrada para o quadro societário da empresa de dois ex-funcionários, trouxe uma força extra a empresa. Marcos Aurélio S. e Souza, hoje Diretor financeiro e Giuliano S. Balielo, Diretor técnico.

EXPANDINDO AS OPERAÇÕES

Em 2011, as oportunidades de expansão da rede começaram a surgir, passamos a atender algumas cidades vizinhas, que também possuíam conexão precária.

Novo desafio para um pequeno provedor, expandir a rede não é só enviar mais distante o sinal, é expandir forma de atendimento, suporte técnico mais organizado, desafios de gerenciar a rede a distância, atender clientes que já não eram conhecidos pessoais, empresas e órgãos públicos passaram a procurar os serviços de conexão da empresa, a reputação se estendia além do município de origem.

BUSCANDO NOVAS TECNOLOGIAS

Quando a expansão da rede em rádio já era uma realidade e em 2015, já com uma carteira razoável de clientes, aproximadamente 1000 assinantes, o perfil dos usuários começava a mudar.

Cada vez mais, a INTERNET passa a ser o canal principal de entretenimento, lazer e estudo dos brasileiros.

Com a difusão dos canais de Streamig de áudio e vídeo, plataformas online, gamers e rede sociais cada vez mais interativas, notou-se uma necessidade real de aumento de banda a entregar ao cliente final.

As empresas já não funcionavam sem uma conexão à internet, iniciava-se aí, a dependência total do ser humano a rede mundial.

Era hora então de recomeçar, pensar no novo, no desconhecido de novo, as dificuldades burocráticas e acesso as linhas de credito eram iguais a do início da empresa, aliás, esses caminhos pouco mudaram, a pequena empresa, o Provedor regional, o pequeno produtor, continuam até hoje, sem assistência econômica por parte da rede financiadora, pouca coisa mudou e o que mudou não foi o suficiente para atender a demanda de crescimento do ramo de Telecomunicação.

Mas ainda assim, a empresa já direciona seu olhar para uma nova tecnologia: a fibra óptica torna-se o foco da empresa, e a partir daí é reaprender, recomeçar, buscar informações, contatos, fornecedores, capacitação técnica, tudo mudou!

Com a crise econômica que o Brasil atravessou neste período, os entraves na captação de crédito, que já eram enormes, e a entrada na cidade de um novo concorrente, se tornaram o grande empecilho do crescimento imediato de uma rede em Fibra Óptica.

Mas a empresa, mais madura, mais estruturada, mais segura e com o planejamento estratégico adequado, se organiza e não desiste. Direciona todas suas forças na manutenção dos clientes já existentes na sua base e no novo projeto de cabeamento.

Com recursos próprios, lança seu primeiro projeto, seus primeiros quilômetros de uma rede em Fibra Óptica, mais uma conquista!

E agora de forma diferente do passado, onde a empresa andava atrás da tecnologia, hoje está à frente, implanta sua rede frente a tantas outras, já levando ao seu cliente a tecnologia mais atual em comunicação à internet, em todos esses anos, a busca a e a preocupação era mantida na qualidade da conexão e respeito ao cliente!

Para empresa é um marco na história, um recomeço, e um orgulho de ter trilhado todo esse percurso e se mantido no marcado, que agora, após a nova infra, cada dia mais sólida e madura.

Os desafios não acabaram e não acabarão, serão novos também, mas tal qual como na vida, vamos nos preparando e os superando com respeito, credibilidade e idoneidade de sempre.

Julinayde, atual Diretora de Relacionamento com os Associados da ABRINT e vice coordenadora da Câmara ABRINT Mulher, tornou-se referência no meio, participou ativamente de movimentos e organizações do setor, esteve junto as empresas do ramo, conheceu o mercado, relacionou-se com os empresários do ramo, participou ativamente de decisões importantes da classe, representou a classe por todo o pais e ainda o faz. Levou o nome da empresa e sua história aos cantos do país, encorajando aos que de alguma forma pensaram em desistir.

O fato de ser mulher, em um setor onde é característico a presença masculina, não foi fácil. Acreditando que existiam outras mulheres neste setor, que assim como ela estavam a frente de suas empresas, ajudou na criação de um movimento dentro da ABRINT, a Câmara ABRINT Mulher. “A ideia é fazer as mulheres associadas sentirem-se acolhidas e serem mais ativas no âmbito da associação e das empresas em que trabalham. O objetivo da Câmara é incentivar melhores práticas de gestão por meio do compartilhamento de experiências, trazendo um ambiente mais igualitário entre os gêneros”.

A Net.com não é só uma empresa de TELECOMUNICAÇÃO, é uma empresa pautada nos relacionamentos humanos, seja com o cliente ou com sua equipe, foi esse comportamento que permitiu a sobrevivência da empresa frente a vários momentos de risco.

 

 

 

 

Oficinas do Ativa Santa Cruz visam auxílio na busca por emprego

VER NOTÍCIA

Prefeitura faz melhorias no aeroporto de Ourinhos; Segurança Pública fará administração

VER NOTÍCIA

Aprovado o refis para pequenos negócios

VER NOTÍCIA