Política

Mesmo após demissão, câmara promete investigar cargo de assessor da prefeitura

 

 

André Barbosa (foto) completaria um ano no cargo em maio

 

O jornal Debate publicou uma matéria em sua última edição questionando o trabalho do funcionário público André Bernucci Gozzo Barbosa, que ocupava até hoje a tarde, ele pediu demissão após a repercussão do caso, o cargo de assessor de Relações Institucionais, com salário bruto de pouco mais de R$ 7.000,00.

O que chamou a atenção é que André, advogado, deveria ser o elo entre executivo e legislativo, mas vários vereadores ouvidos pela reportagem desconheciam o trabalho do advogado.

André deu entrevistas para as rádios Band e Difusora, disse seu trabalho é na prefeitura, e que estava atento a tudo que acontecia na câmara de vereadores, e que não ia até o prédio do legislativo por ser tímido. Ele disse também que acompanhava tudo nas redes sociais, apesar de seu próprio face estar desatualizado, e consta como ele morador da cidade de São Paulo.

O presidente da câmara de vereadores de Santa Cruz, Marcos Valantieri, também foi ouvido pelas duas rádios, e confirmou a versão da maior parte de seus companheiros de casa “Não sabíamos que essa pessoa ocupa este cargo, e ele nunca procurou os vereadores” disse.

O ex vereador Psiu, usou levou um fantasma na sessão, ironizando o cargo do assessor

 

A matéria do Debate também frisou o fato de André ser neto de Irineu Gozzo, considerado amigo número um do prefeito Otacílio, frase que ambos gostam de repetir sobre a amizade.

Mesmo tendo explicado e ter dito não haver nenhuma irregularidade em seu trabalho, André parece não ter suportado a pressão e a repercussão do caso, pediu demissão na tarde desta segunda-feira.

Segundo o Secretário de Comunicação, Renan Alves, o advogado disse ter ficado muito chateado e triste com toda a repercussão, e não quer o seu nome e de sua família exposto, por isso preferiu pedir demissão.

Porém, mesmo após o pedido de demissão o caso foi destaque na câmara de vereadores na sessão ordinária de hoje a noite. “Nada contra o rapaz, que por sinal é honesto e de boa família, mas por tudo que ouvimos ele era um office boy de luxo do prefeito, e isso está errado” disse professor Edvaldo.

Já o vereador Murilo Sala usou a tribuna para ler as atribuições do cargo, entre elas realmente ser o elo entre as instituições, o que não estava acontecendo.

Após o término da sessão o presidente Marcos Valatieri atendeu a reportagem do Santa Cruz News, e disse que mesmo com a demissão do assessor a câmara irá investigar o assunto.

Ouça a entrevista:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Outdoor de Bolsonaro “derruba” secretário da prefeitura de Santa Cruz

VER NOTÍCIA

Durante entrega de casas, Otacílio deixa no ar nome de seu “sucessor”

VER NOTÍCIA

Câmara deve abrir CPI para investigar “Funcionário Fantasma”

VER NOTÍCIA