Saúde

Hipertensão arterial sistêmica é a doença mais comum em idoso

 

 

Saiba como a enfermagem pode auxiliar quem tem a doença

 

O Ministério da Saúde divulgou no último dia 1º de outubro, Dia Nacional do Idoso, um ranking das doenças mais comuns em idosos no Brasil. São elas, pela ordem: hipertensão, dores na coluna, artrite, depressão e diabetes.

A assistência de enfermagem domiciliar pode ajudar muito os idosos que foram diagnosticados com essas patologias. Inclusive a mais comum de todas, a hipertensão. Veja abaixo como isso se dá:

– Monitoramento da Pressão Arterial: A monitorização de PA em pacientes hipertensos deve ser feita em intervalos rotineiros e frequentes, programados junto com o paciente e diante da necessidade deste. Os pacientes devem possuir uma carteira de controle de acompanhamento ou mapa de avaliação, onde é anotado o dia, horário, resultado da pressão arterial e assinatura do profissional que realizou a verificação. O home care faz esse trabalho em prontuário. Para os pacientes em uso de medicamentos anti-hipertensivos, é de suma importância a verificação da pressão arterial no intuito de identificar a eficiência dos medicamentos frente à patologia.

– Monitorização dos Sinais e Sintomas: a enfermagem deve investigar sinais e/ou sintomas que possam indicar lesão de outros órgãos. Desta forma é sempre importante manter um diálogo com o paciente e questionar sobre: sangramentos nasais, dor anginosa, falta de ar, alterações na visão, vertigens, dores de cabeça ou noctúria. – Monitorização dos Pulsos: indica-se que sempre ao monitorizar a pressão arterial do paciente também seja incluída a verificação dos pulsos apical e periférico (frequência, ritmo e características) para com isso detectar possíveis efeitos da hipertensão sobre o coração e vasos periféricos

– Educação e conscientização do paciente: O tratamento inclui ações de mudança nos estilos de vida e hábitos dos pacientes. A enfermagem tem a função de realizar a orientação e acompanhamento frente a estas novas adaptações, por esta razão é um sistema de educação continuada e de estímulo ao autocuidado.

– Monitorização no uso de medicamentos: O profissional de enfermagem realiza o controle adequado das medicações distribuídas para o paciente, bem como a periodicidade de retirada de tais medicamentos, geralmente realizando uma anotação da quantidade do medicamento que está sendo entregue ao paciente e a data de entrega. Desta forma é possível monitorar a correta administração do medicamento em domicílio. Outra questão é o aparecimento de sinais ou sintomas que podem estar associados ao uso da medicação anti-hipertensiva, como por exemplo, tonteira ou zonzeira ao ficar em pé. Todas essas informações devem sempre ser registradas para que exista uma comunicação eficiente entre os profissionais que prestam atenção à saúde do paciente.

– Verificação do peso e altura: Importante mensuração que a enfermagem contribui realizando para que se possa estimar o IMC do paciente e, assim, acompanhar o ganho e perda de massa muscular individualmente, como fator relevante na atenção primária e secundária do indivíduo hipertenso.

A AleNeto Enfermagem, que atua em Santa Cruz do Rio Pardo, Ourinhos e região, São Paulo e Santos, oferece assistência domiciliar completa e tem equipe especializada para fazer a transição entre o cuidador familiar e o cuidador profissional. O home care também tem plantões completos de enfermagem e cuidador de idosos. Para saber mais sobre o assunto e conhecer de perto o trabalho da empresa, ligue (14) 3372-0631, (14) 99747-0154, (11) 94182-7647 ou (13) 99675-0026.

 

 

Idoso viúvo não deve ser sinônimo de problema

VER NOTÍCIA

Palestra sobre Transtorno do Espectro Autista celebra um ano do Ambulatório do Bebê

VER NOTÍCIA

Assistência domiciliar ajuda a superar câncer de mama

VER NOTÍCIA