Saúde

Idoso viúvo não deve ser sinônimo de problema

 

 

Uma das primeiras reações de alguns filhos que perdem a mãe ou o pai é se preocupar com o viúvo(a), principalmente sobre onde irá morar: continua em sua casa ou vai morar com um dos filhos?

Preocupados se o pai ou mãe vai se alimentar bem, tomar os remédios e desempenhar outras tarefas rotineiras, agora que está sozinho, muitos filhos tomam a decisão de levar o idoso para morar com eles. Isso é perigoso e pode ter consequências ruins no futuro.

A enfermagem e a medicina sempre recomendam manter o idoso em sua casa, salvo raríssimas exceções. O idoso que é tirado de casa contra sua vontade perde sua identidade, vê seu poder de decisão diminuído, passa a se sentir um peso para a família e pode desenvolver uma depressão.

O mais indicado é mantê-lo em casa e criar uma estrutura de cuidados para ele, com uma equipe de cuidadores de idosos ou enfermeiras, se for o caso.

“As famílias precisam entender que levar o idoso para a casa de um filho vai mudar com toda a rotina do idoso, dos filhos, dos netos e da esposa ou marido. Isso, com o passar do tempo, pode causar até problemas de relacionamento e no casamento. Ou seja,  uma decisão desta não beneficia ninguém. Tentando ajudar, os filhos acabam cometendo um erro que abala toda a família”, afirma Nayara Moreno, gerente de enfermagem da AleNeto Enfermagem.

A AleNeto Enfermagem, que atua em Santa Cruz do Rio Pardo, Ourinhos e região, São Paulo e Santos, oferece assistência domiciliar completa. O home care  tem plantões completos de enfermagem e cuidador de idosos. Para saber mais sobre o assunto e conhecer de perto o trabalho da empresa, ligue (14) 3372-0631, (14) 99747-0154, (11) 94182-7647 ou (13) 99675-0026. Saiba mais em www.alenetoenfermagem.com

 

 

 

Covid-19: sete internações só no final de semana em Santa Cruz

VER NOTÍCIA

Covid-19 em Santa Cruz: 808 casos positivos e 786 pessoas curadas

VER NOTÍCIA

Depois de três meses Santa Cruz registra caso positivo de dengue

VER NOTÍCIA