Saúde

Santa Casa de Santa Cruz adere a campanha contra a violência à mulher

 

 

Quem entrar na Santa Casa de Misericórdia de Santa Cruz do Rio Pardo vai notar algo diferente no cenário, desde o mês passado foram afixados cartazes em todos os setores do hospital sobre o respeito a mulher.

O cartaz traz as seguintes frases: Respeite a mulher no ambiente de trabalho. Assédio e ofensa são crimes.

De acordo com o assessor de direção, André Luis Camargo Mello, a iniciativa visa fortalecer a campanha contra violência à mulher que foi intensificada em todo o país nos últimos meses diante de diversas ocorrências de agressão e feminicidios registrados.

“O desrespeito não pode acontecer em nenhum um local e muito menos no ambiente de trabalho, seja de colegas ou público atendido”, pontuou.

É bom ressaltar que o assédio está relacionado a diversos atos contra a mulher, como perseguição, grito, humilhação, constrangimento, piada, isolamento e humilhação.

Desde julho deste ano, estabelecimentos são obrigados a divulgar a Central de Atendimento à Mulher (Disque 180) e o Serviço de Denúncia de Violações aos Direitos Humanos (Disque 100). Isso é o que estabelece a Lei nº 11. 154/2018, de autoria do deputado estadual Jutay Meneses (PRB.

O Brasil registrou 142,6 mil denúncias de violações de direitos humanos somente em 2017, o que representa um total de 390 por dia ou mais de 16 a cada hora pelos canais Disque 180 e Disque 100. Os números fazem parte do balanço anual da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos.

 

 

 

Plano de assistência de enfermagem traz conforto e segurança

VER NOTÍCIA

Janeiro Branco: Dicas e cuidados

VER NOTÍCIA

Idoso não é coitadinho e deve ter atitudes repreendidas

VER NOTÍCIA