Política

Fiscal explica motivo de comerciante ser impedido de trabalhar

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                 

Na semana passada o SANTA CRUZ NEWS publicou reportagem com o comerciante Anderson César da Silva, onde ele relatava que mesmo com uma autorização da prefeitura, ele foi impedido de colocar um pula pula neste final de ano na praça Deputado Leônidas Camarinha.

Segundo o comerciante, a responsável pelo veto era a fiscal Márcia Gaspar Luiz (foto) “Fui até falar com o prefeito, mas ele disse que quem manda é a Márcia” falou o comerciante.

Leia a matéria com o comerciante: http:// http://santacruznews.com.br/2018/12/07/comerciante-acusa-funcionaria-da-prefeitura-de-impedi-lo-de-trabalhar/

Nesta quinta-feira (13), a prefeitura autorizou a funcionária a conceder entrevista, e ela explicou os motivos do veto.

“Algumas coisas que o Anderson contou são verdadeiras, mas ele também mentiu, ele não foi autorizado a trabalhar, pois só puderam montar o seu comércio na praça quem trabalhou o ano todo, o que não é o caso dele,vários comerciantes me procuraram e foram informados sobre essa lei, e todos acharam justo, menos o Anderson” falou Marcia.

Ela também disse que o comerciante mentiu quando disse que tem uma pessoa lá com brinquedos que não trabalhou no ano, e que pediu autorização depois dele “A pessoa citada é a Janaína, ela estava grávida e ficou um tempo sem trabalhar, aqui está o atestado dela (confirmado pela reportagem), mas ela trabalhou boa parte do ano”.

Marcia também confirma que rasgou documentos do comerciante “Eu rasguei sim, mas não foi como ele contou, eram dois papéis, cópias, não originais, e eu li um deles e disse não tinha valor e depois rasguei, ele foi embora e deixou outro papel em cima do balcão, como não tinha valor eu também rasguei, e não me arrependo, não fiz nada de errado”.

Ela concordou que houve uma falha de comunicação na prefeitura, já que Anderson conseguiu um documento autorizando a colocar seu brinquedo na praça “Foi sim uma falha de comunicação, a Carla é nova na função e ela não sabia do acordo”.

A fiscal ficou muito emocionada quando revelou que vai deixar sua função “Eu vou ficar cuidando desta parte só até o final do ano, vou voltar a trabalhar só como fiscal, estou muito triste, gostava muito deste trabalho, mas minha família está muito chateada com toda a repercussão deste caso” contou. Neste momento da entrevista a fiscal chorou bastante.

Ela só não deixou muito claro se a decisão de deixar a função partiu dela, ou foi uma decisão do prefeito Otacílio Parras Assis.

Ouça a entrevista com a funcionária da prefeitura:

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                             

                                                                                                       

Santa Cruz realiza a 5ª edição da Conferência dos Direitos da Pessoa Idosa

VER NOTÍCIA

Ricardo Madalena é eleito 2º vice presidente da Assembléia Legislativa, PSDB continua com a presidência

VER NOTÍCIA

Prefeito demite secretários, volta atrás, e insulta jornalista em emissora de radio

VER NOTÍCIA