Saúde

30% da população mundial é hipertensa

 

 

Médico cardiologista Miguel Raimundo (foto) fala sobre a hipertensão arterial

 

No próximo dia 26 de abril comemoramos o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial. Para esclarecer alguns pontos relacionados a esta doença que pode ser silenciosa e fatal ao mesmo tempo, conversamos com o médico cardiologista Miguel Raimundo, do quadro clínico da Santa Casa de Misericórdia de Santa Cruz do Rio Pardo.

Para se ter uma ideia, 90% dos casos de hipertensão estão relacionados ao fator genético, e os outros 5% se referem a alguma doença que evoluiu para o quadro hipertensivo. “O que se pode ter certeza é que a hipertensão está proporcionalmente ligada ao ganho de peso”, adverte o médico.

A prevenção da doença depende de mudança comportamental do indivíduo, como por exemplo, com a redução da ingestão de bebidas alcoólicas, cessação do tabagismo e deixar de lado o sedentarismo. “É comprovado que a pessoa deve praticar 150 minutos de atividade físicas semanalmente dentro de sua rotina e eliminar o consumo excessivo dos alimentos gordurosos e ultra processados”, explica.

De acordo com o médico cardiologista a hipertensão, na maioria das vezes é silenciosa. “Naquele que sente algum sintoma como palpitação, tontura ou angina o diagnóstico é mais fácil, mas infelizmente em muitos casos o paciente descobre ao ter um infarto, derrame ou morte súbita”.

Tal a importância do diagnóstico que em consultas de todo o tipo de especialidade é necessária aferição da pressão arterial.

Inicialmente o tratamento não é farmacológico, quando é realizado um acompanhamento em caso de insuficiência é iniciado o medicamentoso de acordo com a classificação da severidade da doença.

 

 

 

Santa Casa realiza ação entre amigos para climatizar Central de Materiais do hospital

VER NOTÍCIA

Mesmo com a chegada do frio a dengue ainda preocupa

VER NOTÍCIA

Pressionar o idoso não é solução para fazê-lo mudar de hábitos

VER NOTÍCIA