Saúde

30% da população mundial é hipertensa

 

 

Médico cardiologista Miguel Raimundo (foto) fala sobre a hipertensão arterial

 

No próximo dia 26 de abril comemoramos o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial. Para esclarecer alguns pontos relacionados a esta doença que pode ser silenciosa e fatal ao mesmo tempo, conversamos com o médico cardiologista Miguel Raimundo, do quadro clínico da Santa Casa de Misericórdia de Santa Cruz do Rio Pardo.

Para se ter uma ideia, 90% dos casos de hipertensão estão relacionados ao fator genético, e os outros 5% se referem a alguma doença que evoluiu para o quadro hipertensivo. “O que se pode ter certeza é que a hipertensão está proporcionalmente ligada ao ganho de peso”, adverte o médico.

A prevenção da doença depende de mudança comportamental do indivíduo, como por exemplo, com a redução da ingestão de bebidas alcoólicas, cessação do tabagismo e deixar de lado o sedentarismo. “É comprovado que a pessoa deve praticar 150 minutos de atividade físicas semanalmente dentro de sua rotina e eliminar o consumo excessivo dos alimentos gordurosos e ultra processados”, explica.

De acordo com o médico cardiologista a hipertensão, na maioria das vezes é silenciosa. “Naquele que sente algum sintoma como palpitação, tontura ou angina o diagnóstico é mais fácil, mas infelizmente em muitos casos o paciente descobre ao ter um infarto, derrame ou morte súbita”.

Tal a importância do diagnóstico que em consultas de todo o tipo de especialidade é necessária aferição da pressão arterial.

Inicialmente o tratamento não é farmacológico, quando é realizado um acompanhamento em caso de insuficiência é iniciado o medicamentoso de acordo com a classificação da severidade da doença.

 

 

 

Santa Cruz recebe visita de técnicos do Ministério da Saúde

VER NOTÍCIA

Equipe de enfermagem participa de educação continuada

VER NOTÍCIA

106 casos de dengue em Santa Cruz, Centro e Vila Saul são os locais mais afetados

VER NOTÍCIA