Policial

CART recolhe 11 toneladas de lixo por mês nas rodovias

 

 

Oitenta por cento dos materiais são recicláveis; Concessionária alerta que descarte irregular pode configurar crime ambiental

 

A quantidade de lixo que as equipes de limpeza da CART – Concessionária Auto Raposo Tavares, uma empresa do grupo Invepar, recolheu entre janeiro e setembro deste ano às margens das rodovias que administra equivale a sete caçambas de caminhões pesados repletas de resíduos sólidos. São 11,2 toneladas em média por mês, segundo levantamento feito pelo Centro de Controle de Operações – CCO.

Agosto foi o mês recorde na somatória de material coletado no eixo principal, formado pela SP-225 – Rodovia João Baptista Cabral Rennó, SP-327 – Orlando Quagliato, SP-270 – Raposo Tavares e acessos, entre Bauru e Presidente Epitácio. Foram mais de 29 toneladas – 30% do total.

Lixos recicláveis representam 80% do conteúdo descartado irregularmente na rodovia – são 9 toneladas por mês de plástico, garrafas PET, latas de refrigerantes, papel, papelão, recipientes de vidros e sacolas. Este material é destinado a cooperativas de reciclagem de cidades do trecho.

Para a segurança dos motoristas e preservação do meio ambiente, as equipes de limpeza da CART atuam com equipamento de capina de vegetação, pás, além de caminhões varredores e de transporte de ferramentas. “Conservar a rodovia ainda mais limpa exige a colaboração de todos. A orientação é que o motorista leve sacolas plásticas para depositar seu lixo no interior do veículo e descartá-lo adequadamente na próxima parada. As 12 bases do Serviço de Atendimento ao Usuário [SAUs] possuem lixeiras para material orgânico e reciclável e são uma alternativa para o descarte nas paradas para descanso rápido ou para solicitar informações”, menciona Luis Santos, Gerente de Operações da CART.

Impacto ambiental

A presença de detritos na malha viária pode provocar acidentes e também danos ambientais. Com as chuvas, o lixo é levado pela enxurrada para os rios. Animais silvestres e domésticos que habitam às margens da rodovia nas áreas de vegetação são atraídos para a pista e há o risco de atropelamento, que oferece ainda perigo aos ocupantes dos veículos. “Nosso apelo se estende também às pessoas que habitam às margens das rodovias, que façam o descarte correto e utilizem o serviço de coleta pública de seu município”, frisa Santos.

Descartar lixo irregularmente na faixa de domínio configura prática de crime ambiental, conforme a Lei Federal nº 9.605/1998. A pena pode chegar a quatro anos de reclusão, além de multa que parte de R$ 50 e pode chegar a R$ 50 milhões. Denúncias podem ser feitas à Polícia Ambiental, pelo telefone 190.

 

 

 

 

PMR recupera caminhonete roubada e apreende mais de 190 quilos de maconha em Santa Cruz

VER NOTÍCIA

Era para ser só um treinamento, mas cães da policia encontram drogas em mata de Santa Cruz

VER NOTÍCIA

PM prende dois traficantes na Frei José Maria Lorenzetti

VER NOTÍCIA