Saúde

Confirmada morte por Febre Maculosa em Santa Cruz

Publicidade

 

A Secretaria da Saúde de Santa Cruz do Rio Pardo informa que um caso de óbito ocorrido no final do mês de dezembro 2019, estava em investigação para pela Secretaria Municipal de Saúde/ Vigilância Epidemiológica, e foi confirmado pelo Instituto Adolfo Lutz como febre maculosa. Os técnicos da SUCEN farão um trabalho de campo nos locais prováveis de infecção onde o paciente frequentou 15 dias antes do início dos sintomas para a pesquisa de presença do carrapato. As áreas serão identificadas com placas alertando a população sobre o perigo da presença de carrapatos no local.

FEBRE MACULOSA

O QUE É?

A febre maculosa é uma doença infecciosa febril aguda de gravidade variável, que pode cursar com formas leves e atípicas até formas graves com elevada taxa de letalidade de até 80%. É transmitida por carrapatos Ambyomma cajannense, também conhecido por: “ carrapato estrela “, “ carrapato de cavalo “, ou “rodoeiro”. O Micuim (larva do carrapato estrela pode transmitir a doença) infectado pela bactéria Rickettssia rickettsii.

Os equídeos, roedores como a capivara (Hydrochaeris hydrochaeris), e marsupiais como o gambá (Didelphys sp) têm importante participação no ciclo de transmissão da febre maculosa e há estudos recentes sobre o envolvimento destes animais como amplificadores de riquétsias, assim como transportadores de carrapatos potencialmente infectados.

SINTOMAS

A partir do 2º dia da picada do carrapato infectado até o 14º (em média 7 dias) aparecem os sintomas:

Febre;

Dor de cabeça;

Dores no corpo;

Manchas avermelhadas;

Olhos irritados.

Ao 3º e 4º dia podem ocorrer manchas avermelhadas (máculas), em torno do punho, tornozelo, tronco, rosto, pescoço, palma das mãos e sola dos pés.

DIAGNÓSTICO

O diagnóstico precoce é muito difícil, principalmente durante os primeiros dias de doença, quando as manifestações clínicas também podem sugerir leptospirose, dengue, hepatite viral, salmonelose, meningoencefalite, malária e pneumonia. Por isso é de extrema importância informar ao profissional de saúde se frequentou áreas rurais, de mata e beira de rio, pois essa informação contribuirá para a suspeita precoce e assim tratamento em tempo oportuno.

ATENÇÃO: ao apresentar os sintomas da doença após encontrar carrapatos pelo corpo ou frequentar áreas de mata e/ou beira de rio procure uma unidade de saúde.

COMO PREVENIR

Não caminhe em áreas infestadas, caso necessário, use roupas claras e cubra todo corpo;

Evite lugares de pastagens de animais e margens de rios habitados por capivara;

Se sua residência e seu animal de estimação estiverem infestados, e necessário combater os carrapatos do quintal com veneno apropriado, e procure um médico veterinário para avaliação do animal;

Corte o mato e a grama rente ao solo.

SE FOR NECESSÁRIO ENTRAR EM ÁREAS INFESTADAS, USE ROUPA CLARAS PARA FACILITAR A VISUALIZAÇÃO DOS CARRAPATOS. LEMBRE-SE: REALIZE O AUTO-EXAME DE SEU CORPO A CADA 3 HORAS. CASO ENCONTRE ALGUM CARRAPATO NÃO ESMAGUE RETIRE-O CALMAMENTE TORCENDO ATÉ SE DESPRENDER DA PELE. NUNCA ESMAGUE O CARRAPATO COM AS MÃOS OU UNHAS, POIS VOCÊ PODE ADQUIRIR A DOENÇA ATRAVÉS DE PEQUENOS FERIMENTOS NA PELE!

 

 

 

 

Santa Cruz registra três casos de dengue em 2020

VER NOTÍCIA

Campanha nacional contra o Sarampo: As Unidades de Saúde de Santa Cruz estarão abertas no sábado

VER NOTÍCIA

Primeiro caso de dengue em 2020 de Santa Cruz é de uma moradora da Vila Mathias

VER NOTÍCIA