Política

Forças de segurança dos estados de SP e PR realizam operação na região

 

Publicidade

 

Polícia Militar na divisa entre São Paulo e Paraná em operação conjunta contra criminalidade nos dois estados — Foto: Divulgação/SSP SP

 

Matéria: G1

As forças de segurança de São Paulo e do Paraná realizam nesta terça-feira (15) uma operação integrada contra organizações criminosas que atuam principalmente com o tráfico de drogas e de armas na divisa dos dois estados.

“Operação Divisas Integradas II” conta ainda com o apoio da Polícia Federal (PF), da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e do Exército.

Serão cumpridos mandados de prisão contra procurados e de busca e apreensão em imóveis usados por quadrilhas. Além disso, serão realizadas abordagens a veículos suspeitos.

A ação também investiga grupos por crimes como contrabando de mercadorias, roubo e furto de cargas e veículos, estelionato, e transporte irregular de passageiros.

Mais de 7,8 mil agentes das polícias Civil e Militar de São Paulo e do Paraná, mais PF, PRF e Exército estarão atuando nas três principais rodovias que ligam os dois estados:

  • Raposo Tavares;
  • Régis Bittencourt;
  • Transbrasiliana.

Na operação estão sendo empregadas 2.129 viaturas, 21 aeronaves, seis drones, 18 cães e 11 embarcações na ação, segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP).

O balanço parcial da operação, bem como o número de mandados expedidos pela Justiça para serem cumpridos não foram divulgados por questões estratégicas, segundo informou ao G1 o general Carlos Sérgio Camara Saú, coordenador do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) da Secretaria da Segurança Pública (SSP) de São Paulo.

“São mandados de prisão e de busca apreensão contra grandes organizações criminosas e até pequenas”, disse o general Carlos Saú.

Segundo o coordenador da SSP, a pasta irá divulgar ainda nesta terça (15) os números da operação.

Apesar de não informar quais facções criminosas são alvos da ação, a reportagem apurou que entre elas estão pessoas suspeitas de envolvimento com o Primeiro Comando da Capital (PCC), por exemplo.

Na segunda-feira (14), outra operação, essa comandada pelo Ministério Público (MP), apreendeu explosivos, arma e carros de luxo usados pela organização criminosa que atua dentro e fora dos presídios do país. Cinco suspeitos de integrar o grupo foram presos; outro foi morto em confronto com a polícia.

A Operação Sharks, do Ministério Público de São Paulo, divulgou também nesta segunda (14) um organograma do que seria a nova cúpula do PCC no estado de São Paulo. Nele, Marcos Roberto de Almeida, o Tuta, que está foragido, é apontado como nova liderança do grupo, substituindo Marcola na chefia do bando fora dos presídios de São Paulo, após a transferência dos principais líderes da quadrilha para o sistema penitenciário nacional.

 

PMR apreende Fiat/Strada com 85 tabletes de cocaína em Santa Cruz

VER NOTÍCIA

PMR apreende carro “recheado” de cocaína em Ourinhos

VER NOTÍCIA

Canil do 13º BAEP prende traficante procurado em Santa Cruz e traficantes em Chavantes

VER NOTÍCIA