Revista

Equipe médica de obstetrícia faz atualização sobre Doença Hemolítica Perinatal

 

 

A reunião mensal da equipe médica de obstetrícia da Santa Casa de Misericórdia de Santa Cruz do Rio Pardo, realizada na noite da última terça-feira (8), teve como tema, a Doença Hemolítica Perinatal.

A médica ginecologista obstetra, Haluana Zacura, falou sobre o assunto e as condutas corretas a serem adotadas no caso do diagnóstico da gestante como RH negativo, ou seja, quando a mãe tem sangue tipo negativo e o bebê tipo positivo. O problema deixará de existir caso o pai também tiver RH negativo.

Apesar de não ser tão comum, incidência em 15% das mulheres, o caso pode ser grave e se não tratado com a vacina anti RH, pode levar o bebê a receber sangue após o nascimento ou ser submetido a uma transfusão intrauterina.

“O assunto é bastante complexo e necessita de vasto estudo, por isso apresentei alguns parâmetros de acompanhamento”, disse a médica.

obstetricia-1

Médica, Haluana fala sobre Doença Hemolitíca Perinatal

 

Já o médico ginecologista, José Antônio Peres, lembrou na ocasião em que ainda não existia a vacina anti RH, na cidade. “Por isso quando se falava nesta doença os riscos eram ainda maiores”.

Ao longo do encontro que contou ainda com a participação dos médicos, Gustavo Zacura, Eliane Ali, Olívio Tosi e Ana Maria Ferrari Nogueira, foram tratados itens relacionados ao tema como diagnóstico, títulos de anticorpus e tratamento.

Os encontros mensais da equipe têm o objetivo principal de padronizar as condutas para aplicação no hospital.

 

 

“Doença da urina preta” é intoxicação alimentar

VER NOTÍCIA

Covid-19: Santa Cruz registra morte nesta segunda-feira, veja os números no município

VER NOTÍCIA

Jornalista André Rubio é mais uma vitima fatal da Covid-19

VER NOTÍCIA