Política

João Marcelo não vota em repúdio para Secretário Estadual: “Não vou participar de picuinha”

 

 

A câmara de vereadores de Santa Cruz do Rio Pardo se reuniu pela primeira vez em sessão ordinária neste ano na noite desta segunda-feira (06), e a primeira polêmica de 2017 não foi nenhum projeto, e sim uma moção de repúdio apresentada pelo legislativo santa-cruzense contra o Secretário Estadual do Meio Ambiente, Ricardo de Aquino Salles.

Na semana passada o secretário esteve em Santa Cruz para interditar o aterro sanitário do município, e  algumas atitudes de Salles irritou o prefeito Otacílio Parras Assis, entre elas comunicar antecipadamente alguns órgãos de imprensa, “Ele promoveu um espetáculo circense” disse o prefeito em entrevista.

“Ele não respeitou 48 mil pessoas” disse o presidente da câmara, Marcos Cantor, para justificar a moção

 

O presidente da câmara, Marcos Valantieri (PR), explicou a moção “Não estamos questionando o aterro ser lacrado, mas sim como foi feito, todo aquele aparato, seis viaturas, helicóptero, não deixar os caminhões que estavam lá depositar o lixo, foram vários erros, por isso essa moção de repúdio, ele não respeitou uma população de 48 mil pessoas”.

A moção foi aprovada com nove votos favoráveis, um contrário da vereadora Maura (PSDB), e três abstenções dos vereadores João Marcelo e Edvaldo do DEM, e Murilo Sala (SD).

“Não gosto de participar de picuinhas tanto de um lado ou de outro, para mim isso não leva a nada, nós temos trabalhar pela população e não ficar com brigas politicas” explicou João Marcelo o motivo de não ter votado favorável a moção.

Professos Edvaldo também explicou sua abstenção “Vejo que neste momento uma moção de repúdio coloque Santa Cruz do Rio Pardo em uma situação pior ainda com o governo estado, eu torci para que não passasse, mas infelizmente a maioria foi favorável, eu entendo uma moção de repúdio é algo muito pesado” disse

“Eu não votei favorável porque como está escrito na moção está dando a impressão de que ele agiu errado, mas não, ele estava cumprindo a função dele, da mesma maneira a gente ouve administração falando de tomar medidas amargas, da mesma forma um secretário, a forma como ele agiu como estão falando eu também não concordo, um secretário de estado tem ter no minimo respeito, mas uma moção de repúdio e muito forte e tem ser para algo mais importante” comentou Murilo Sala.

Murilo também se mostrou preocupado com a relação da cidade com o estado “Não sei até que ponto é interessante fazer algo contra o estado, acho melhor procurar, sentar, conversar e tentar resolver a situação, entendo a revolta do prefeito, não precisava tudo aquilo por parte do secretário, mas não acho que moção de repúdio vai resolver” concluiu

A vereadora Maura foi a única a votar contrário “Não tem necessidade essa moção”

 

A vereadora Maura foi a única a votar não, e explicou “Eu entendo que o secretário cumpriu sua função, nós temos esse problema não é de hoje, é antigo, quando sai em 2009 nós já tínhamos apontamento, e eu pesquisei que o secretário não agiu desta maneira só em Santa Cruz, tenho aqui matérias dele ter tomado a mesma atitude em outras cidades, ele tem como meta lixão 0 para o estado de São Paulo, ele cumpriu com sua função, e também felizmente o prefeito foi muito rápido e tomou as medidas necessárias, acho que agora caminhamos para a solução do problema, não era necessário é uma moção de repúdio”.

 

 

 

 

 

Santa Cruz do Rio Pardo realiza 11ª Conferência Municipal de Assistência Social

VER NOTÍCIA

Prefeito Diego Singolani visita o projeto Orquestra de Câmara Santa Cruz

VER NOTÍCIA

Veja as principais mudanças em Santa Cruz com novo decreto

VER NOTÍCIA