Policial

O que fazer ao presenciar um acidente em uma rodovia?

 

 

Ações corretas preservam vidas e evitam novos incidentes

Dados do Infosiga SP, Movimento Paulista de Segurança no Trânsito promovido pelo Governo do Estado de São Paulo, dão conta de que 94% dos acidentes fatais no estado são causados por falha humana. Desta forma, todos os cuidados para evitar acidentes são fundamentais. Caso o motorista se depare com um acidente, antes da chegada do socorro, existem alguns cuidados que devem ser tomados para não agravar a situação e preservar a segurança de todos os envolvidos.

Quem trafegar pela rodovia e encontrar um acidente em seu caminho, deve se preocupar primeiramente com a própria segurança. “É extremamente perigoso parar e/ou sair do veículo sem calcular os riscos envolvidos. Tal atitude, inclusive, pode causar um novo acidente”, explica o Engenheiro de Saúde e Segurança do Trabalho da CART – Concessionária Auto Raposo Tavares, Nivaldo Bautz.

O primeiro passo é encontrar um local seguro para estacionar o seu veículo, próximo ao local, buscar um local seguro e sem trânsito para permanecer fora do veículo. Ao selecionar o local de parada, diminua a velocidade gradativamente e sinalize com o pisca-alerta. Uma vez em segurança, deve-se primeiramente acionar o serviço de resgate da rodovia em que estiver, no caso da CART, o usuário deve discar o 0800 773 0090 e informar a rodovia e o quilômetro do acidente. Se for possível o motorista também deve informar o número de vítimas, assim o socorro poderá se preparar mais adequadamente. Caso não saiba o número de emergência da rodovia em que está trafegando, o recomendado é acionar o serviço de atendimento pré-hospitalar, que no Brasil é oferecido pelo SAMU (192) e Corpo de Bombeiros (193). A Polícia Militar Rodoviária também pode ser acionada nestes casos através do 190.

Assim que o contato com o serviço de emergência for feito, a pessoa deve, se existir a possibilidade e com muita cautela, sinalizar o local do acidente com o triângulo, faróis ou até mesmo galhos de árvores, para alertar os outros motoristas.
É importante lembrar que não se deve movimentar a(s) vítima(s), tocá-las ou dar algo para beber, já que estas ações podem agravar ferimentos internos ou externos. “Caso a vítima esteja consciente, deve-se conversar com a pessoa, acalmá-la e informar que o socorro está a caminho”, complementa Bautz.

Ocorrência já sendo atendida
Caso o motorista passe por uma ocorrência em andamento, que já esteja sendo atendida, o correto é não parar, diminuir a velocidade somente se necessário. “A curiosidade pode, muitas vezes, ser a culpada de um novo acidente. A atitude de parar ou até mesmo diminuir a velocidade aumenta o risco de colisão, principalmente traseira”, explica Nivaldo. A recomendação para o condutor é apenas de redobrar a atenção à movimentação de veículos.

Caso o motorista se envolva em um acidente sem vítima
Muitos motoristas acreditam que, caso se envolvam em um acidente, mesmo sem vítimas, o veículo não deve ser movido por questões do seguro. Porém, tal atitude não só atrapalha o fluxo e coloca em risco outros condutores, como também é infração de trânsito. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, obstruir o trânsito é infração média, no valor de R$130,60 e 4 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Se o condutor se envolver num acidente sem gravidade, o correto é procurar um local seguro para estacionar o veículo, sinalizar o acidente, conversar com os envolvidos, tirar fotos dos danos e realizar um boletim de ocorrência. Mover o veículo não afeta a avaliação do seguro e ajuda a prevenir novos incidentes.

Caso aviste uma ambulância na rodovia
Muitos motoristas tem receio de dar passagem para veículos de urgência, como ambulâncias e viaturas policiais. Porém, não abrir espaço para trais veículos que estiverem com sirene e luz intermitente ligada é passível de multa gravíssima no valor de R$ 293,47 e acréscimo de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação. Impedir a passagem destes veículos pode também colocar em risco a vida das pessoas transportadas, que muitas vezes necessitam de um rápido atendimento.

Outra prática comum entre motoristas é se aproveitar do espaço aberto pelas ambulâncias e viaturas, tal atitude é extremamente perigosa e também gera multa grave no valor de R$195,23 e cinco pontos na CNH.

A CART, uma empresa Invepar Rodovias, administra o Corredor CART, que é formado pela SP-225 João Baptista Cabral Rennó, SP-327 Orlando Quagliato e SP-270 Raposo Tavares, no total de 834 quilômetros entre Presidente Epitácio e Bauru, sendo 444 no eixo principal e 390 quilômetros de vicinais. A concessionária está inserida no Programa de Concessões Rodoviárias do Governo do Estado de São Paulo, fiscalizado e regulamentado pela ARTESP – Agência Reguladora de Transportes do Estado de São Paulo.

 

 

 

 

Cão Draco da PM encontra 750 pedras de crack em mata na cidade de Ipaussu

VER NOTÍCIA

Aeronaves da Marinha pousam em Santa Cruz devido à chuva

VER NOTÍCIA

Casa pega fogo no centro de Santa Cruz

VER NOTÍCIA