Saúde

Dezembro Laranja: Sol não é o único vilão do câncer de pele

 

 

Se proteger do sol não é uma necessidade apenas na praia, na piscina ou quando estiver em uma atividade ao ar livre no verão. No dia a dia, há situações em que nos expomos aos raios solares, que podem provocar câncer de pele, como dirigindo dentro do carro, sem nos darmos conta. E há outras fontes de emissão de luz, inclusive dentro de casa e no escritório, como computadores e celulares, que emitem radiação ultravioleta (UV-A e UV-B), lembra a dermatologista Marcelle de Oliveira Salvadio (foto), do Grupo São Francisco, que integra o Sistema Hapvida.

Por isso, para prevenir câncer de pele é indispensável usar protetor solar mesmo em dias nublados ou que não haja intenção de fazer atividade ao ar livre. “Devemos nos proteger sempre dos raios UV-A e UV-B nos horários mais críticos, quando o sol está bem quente, que é das 10h da manhã até as 16h. Mas vale ressaltar que em dias de chuva, nublado, ou dentro do carro, exposto à luz do computador também se faz necessário o uso de filtro solar de um fator adequado, de pelo menos 30”, comenta Marcelle.

Um erro comum é passar o protetor solar apenas pela manhã e achar que está protegido pelo resto do dia. A dermatologista ressalta que o produto deve ser reaplicado de duas em duas horas em áreas do corpo que ficam expostas. Além disso, para atividade ao sol, ela recomenda uso de camisetas leves de manga comprida, boné ou chapéu.

Levantamento da Sociedade Brasileira de Dermatologia indica que o câncer de pele ainda é subestimado e que, nos últimos oito anos, foram registrados pelo menos 205 mil novos casos e 32 mil mortes em todo Brasil. Por isso, a entidade, todos os anos, faz a campanha Dezembro Laranja para conscientização para prevenção e conscientização a respeito do câncer de pele. São Paulo é disparado na frente o Estado que mais diagnostica o carcinoma. De 2013 até este ano, foram 52.876 casos, de acordo com o Painel Oncologia Brasil, elaborado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Como na maioria dos cânceres, o diagnóstico precoce aumenta muito as chances de cura. “Ao notar que há alguma mancha escura na pele com bordas irregulares, a recomendação é procurar um dermatologista. Diagnosticado o melanoma ou outro tipo de câncer de pele, deve ser feita a remoção com uma cirurgia. Em seguida, são indicados outros tratamentos, se for o caso”, esclarece Marcelle.

 

 

 

Dengue: atenção aos sinais

VER NOTÍCIA

Com surto em alta, Brasil chega em 4 meses ao mesmo patamar de casos de dengue de todo o ano passado

VER NOTÍCIA

Meus pais têm pressão alta. Eu também terei?

VER NOTÍCIA