Saúde

Março Lilás: Vacina contra o HPV pode prevenir 70% dos casos de câncer de colo de útero

 

 

Mesmo assim, toda pessoa que tem útero e idade entre 25 e 64 anos anualmente precisa fazer Papanicolau para investigar possíveis problemas

 

A exemplo do “Outubro Rosa” e “Novembro Azul”, que se consolidaram como importantes ferramentas de conscientização e prevenção de doenças, o Março Lilás visa orientar a população sobre como evitar e combater o câncer de colo de útero. Excetuando-se o câncer de pele não melanoma, o câncer de colo de útero é o terceiro tumor maligno mais frequente na população feminina e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil, de acordo com o Inca. É causado pela alteração nas células do colo do útero, que pode evoluir para câncer. Na maioria das vezes, o que provoca essa alteração celular é a infecção pelo Papilomavírus Humano (HPV), muito frequente na região genital, explica Alexandre Gomes (foto), diretor de oncologia do Sistema Hapvida.

Por isso, a importância da prevenção. A principal forma é a vacinação de meninas e meninos. De acordo com a Sociedade Brasileira de Radioterapia, a vacina pode prevenir 70% dos casos de câncer de colo de útero e 90% das verrugas genitais. A imunização, que desde 2014 é realizada pelo SUS, atualmente é disponível parameninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos, lembra o oncologista. Outra forma de reduzir a possibilidade de desenvolver este tipo de câncer é o uso de preservativos, que evita o contágio pelo HPV. Mas, mesmo assim, toda pessoa que tem útero e idade entre 25 e 64 anos precisa fazer a prevenção anualpor meio de biópsia de células uterinas, exame bastante conhecido como Papanicolau.

“Se detectado precocemente, as chances de cura do câncer de colo de útero são altíssimas”, acrescenta o médico do Sistema Hapvida. O tratamento depende do estágio da doença, mas vai desde a retirada da parte do útero afetado até a remoção de todo o útero. Após a cirurgia, o tratamento pode ou não ser seguido de quimioterapia e radioterapia, dependendo do quadro da paciente, completa Alexandre Gomes.Além da imunização contra o HPV, os médicos recomendam evitar comportamentos que aumentam o risco de desenvolver a doença. São três: início precoce da atividade sexual e múltiplos parceiros; tabagismo (a doença está diretamente relacionada à quantidade de cigarros fumados) e uso prolongado de pílulas anticoncepcionais.

 

 

 

Secretaria de Saúde realiza nebulização em Santa Cruz

VER NOTÍCIA

Combate a Dengue: Prefeitura de Santa Cruz realiza mutirão de limpeza, confiras as datas

VER NOTÍCIA

Santa Cruz registra 21 casos positivos de dengue, Eldorado e Centro os locais mais afetados

VER NOTÍCIA