Esportes

Games podem se tornar investimentos e bolsa de valores já tem seus ETFs

 

 

Fundos de índice do setor de Gaming & E-sports têm conquistado adeptos no exterior e, agora, são uma possibilidade também no Brasil

 

Além de entretenimento, os games tornaram-se uma alternativa de investimento. Por meio de fundos de índices (ETFs), é possível direcionar recursos para empresas do setor de Gaming & E-sports e lucrar com a valorização dos ativos. A possibilidade tem conquistado adeptos no exterior e, agora, também é realidade no Brasil.

Em dezembro de 2021, a Bolsa de Valores (B3) listou o primeiro ETF do tipo: o JOGO11. Ele replica o ETF ESPO (VanEck Video Gaming & E-sports Index), da gestora VanEck, listado na Bolsa de Nasdaq.

Para entender melhor sobre essa influência na prática, é preciso antes compreender a dinâmica dos ETFs. O especialista em educação financeira, Jurandir Sell, explica que esse tipo de fundo reúne ativos de diferentes empresas. “É como se fosse uma caixinha que você coloca várias empresas lá dentro”, compara.

Dessa forma, destaca o especialista, o ETF já promove uma diversificação da carteira de investimentos. Isso reduz os riscos de perda para o investidor, pois caso algum dos ativos sofra desvalorização, o resultado pode ser equilibrado pela valorização de outros.

O ESPO reúne ativos de 26 empresas do mercado de Vídeo Gaming & E-sports. Entre elas estão queridinhas do grande público, como a Nintendo e a Roblox.

Vale a pena investir?

 

Todo investimento implica riscos, como informa a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). Por isso, antes de investir, a orientação é analisar o retorno financeiro, a segurança e a liquidez dos ativos. Também é necessário estudar o mercado.

No caso do retorno financeiro, o setor de Gaming & E-sports tem se destacado nos últimos anos. Em entrevista concedida à imprensa, o professor de Economia e Finanças da Faculdade de Informática e Administração Paulista (FIAP), Marcos Crivelaro, destacou que, só no Brasil, esse mercado cresceu mais de 60%, saltando de US$ 1,5 bilhão, em 2019, para U$ 2,5 bilhões em 2021. 

No entanto, o especialista alerta sobre a flutuação que costuma ocorrer com investimentos recém-criados. Ele analisa que, no primeiro momento, há uma “empolgação” dos investidores, que depois diminui e abre espaço às oscilações de mercado. Ele compara com o cenário das criptomoedas.

Com relação à segurança, em geral, os ETFs e os fundos de investimentos imobiliários são as opções menos arriscadas na renda variável. No caso do JOGO11, uma das principais vantagens é não sofrer interferências da instabilidade do mercado nacional, como a crise econômica e as incertezas políticas, típicas de um ano eleitoral. 

Os ETFs têm alta liquidez, o que torna mais fácil resgatar o dinheiro investido. Outra característica desse tipo de fundo é que o valor inicial para investir é mais acessível do que outros produtos financeiros.

Como investir

 

Para investir em ETFs, os interessados devem abrir uma conta em uma corretora de investimentos. Dessa forma, terão acesso ao home broker da Bolsa de Valores e poderão investir não só nos fundos de índices, mas em outros ativos listados na B3.

A plataforma tem uma equipe de profissionais que oferece suporte ao investidor para montar a sua carteira.

 

 

Santa Cruz vence Marília por 2 a 0 e conquista titulo da Copa Record

VER NOTÍCIA

CAS Futsal Feminino goleia na estreia nos Jogos Santacruzenses

VER NOTÍCIA

CAS está na final do Campeonato de Timburi

VER NOTÍCIA