Revista

Economia no hortifrúti traz bons resultados no fim do mês

 

 

Alta dos preços preocupa consumidores; confira dicas para comprar alimentos in natura

 

Nutritivos, coloridos e saborosos, legumes, frutas e verduras são essenciais para o bom funcionamento do corpo humano. Segundo o guia elaborado pelo Ministério da Saúde com a Universidade Federal de Minas Gerais, o consumo dos itens in natura tem relação direta com a promoção da saúde e melhoria na qualidade de vida. 

Com a alta dos preços, porém, nem sempre é fácil fazer compras no hortifrúti sem comprometer o orçamento. De acordo com um levantamento realizado pela Fundação Getúlio Vargas, nos últimos 12 meses os legumes, as frutas e as verduras acumularam alta de 24,35%, quase o triplo da inflação no período. 

Diante desse cenário, economizar nas compras com vale-alimentação no hortifrúti se tornou uma necessidade para o bolso dos brasileiros. Órgãos como o Serasa e a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste) dão dicas que ajudam a manter uma dieta saudável e a minimizar os gastos com alimentos naturais.

 

Mantenha a organização nas compras 

A primeira dica fornecida pelo Serasa é ter atenção na hora de elaborar a lista de compras. Antes de sair, é preciso analisar quais itens serão realmente consumidos para evitar o desperdício. 

A orientação do órgão é anotar assim que os alimentos forem acabando em casa. Dessa forma, será mais fácil manter a relação atualizada com itens que a casa consome. 

A prática de elaborar listas para fazer compras é bastante comum no Brasil e pode ser uma aliada para quem busca economizar tempo e dinheiro no hortifrúti. 

 

Evite os primeiros dias do mês

 

De acordo com a Proteste, saber as melhores datas para ir ao mercado ajuda a economizar no valor total. Normalmente, a primeira semana do mês costuma ser o período em que as pessoas recebem os salários, aposentadorias e pensões. Consequentemente, é comum que façam compras logo depois. 

O órgão orienta o consumidor a não ir ao hortifrúti nesses dias, pois o aumento da procura faz com que os valores acabem subindo ainda mais. 

 

Opte por alimentos da época 

 

Uma das principais dicas para economizar nas compras é escolher os alimentos que estão na safra. Essa é uma orientação tanto do Serasa quanto da Proteste e pode poupar significativamente o saldo do vale-alimentação. 

Como são propensos a se desenvolver naquele período e clima, os alimentos da estação necessitam de menos agrotóxicos para seu cultivo. Portanto, ter atenção a esse detalhe ajuda também a adquirir produtos mais nutritivos e frescos. 

Alguns alimentos característicos entre os meses de janeiro a fevereiro são abóbora, alface, beterraba, tomate, quiabo, goiaba, mamão, melancia e uva. De março a abril, estão o repolho, milho, berinjela, banana, jaca, kiwi, limão e pera.

Chegando no período de maio a agosto, os preços da cenoura, chuchu, inhame, nabo, brócolis, cebola, mandioca, couve, acerola, caqui, figo, caju, e morango provavelmente estarão mais acessíveis. 

Na reta final do ano, é hora de aproveitar para investir em espinafre, pepino, pimentão, rúcula, vagem, alho-poró, jabuticaba, manga, ameixa, amêndoa, damasco, framboesa, graviola, pêssego e romã.

 

Reaproveite os alimentos 

 

Utilizar ao máximo os nutrientes que os alimentos podem oferecer também é uma forma de economizar nos gastos do hortifrúti. Segundo a Proteste, reaproveitar as cascas, sementes e folhas dos alimentos pode ajudar a elaborar receitas nutritivas e de quebra diminuir o valor das compras no vale-alimentação. 

Para introduzir pratos com os “restos” dos alimentos, o consumidor deve ter criatividade. De acordo com o livro “Sabor sem desperdício” elaborado pela Mesa Brasil Sesc São Paulo, é possível fazer bolos, caldos, sucos, tortas, quiches e pães utilizando as sobras de frutas, legumes e verduras que costumam ir para o lixo. 

 

 

Vem aí a primeira “Feijoada do Copa”

VER NOTÍCIA

Fabiana e sua filha Eloá as vencedoras no “Mamãe Bebê ACE 2024”

VER NOTÍCIA

Special Dog Company promove ‘Yakisoba do Lar’ em prol do Educandário O Lar da Criança

VER NOTÍCIA